Hoje acordei revoltada.

Puta da vida.

Vocês, homens, ficam aí dizendo que nós somos complicadas e etc, mas VOCÊS são os mais FREAKS sempre.

————————

Situação 1

Daí que né… Tinha um cidadão. Muito atraente ele, por sinal.A gente ficou uns meses naquele flerte goxtooooso; faculdade, msn, aquela coisa toda. Trovando-nos mutuamente meses e meses a fio. Tomei a iniciativa duas vezes para beijar ele. Levei dois foras do tamanho do Canadá. Mas mesmo depois dos foras o flerte continuava e eu não entendia bem o porquê, mas seguia forte na malandragem, movida por forças ocultas que só me direcionavam para a fossa iminente.

Depois de um tempo eu cansei do maluco. Cansei mesmo. Ele nem era tão bonito assim para eu despediçar tanto tempo e gastar tanto a minha beleza. Então fui lá no msn e dei a real para ele, bem coisa de guriazinha de 14 anos. Mas ok, eu nem estava bêbada, mas estava embriagada de indignação pelos foras sem sentido que ele tinha me dado.

Sabe o que o cidadão me disse quando cobrei satisfações pelo fato de que todos nossos amigos em comum estavam zombando do nosso namorico à la jardim de infância? Ele me disse que nunca me prometeu nada, nunca me exigiu nada, e nunca pediu para eu deixar de fazer alguma coisa na minha vida. Só isso. Foi como se eu estivesse falando com um ex-marido, não um mero flerte, um cara que eu nunca fiquei. Foi aí que eu me liguei na dimensão que as coisas estavam tomando e descobri que eu era louca. Louca por qualquer pessoa que não me desse certezas. Louca por ficar em cima no muro, essas coisas. E então eu larguei o cidadão de mão.

O flerte não vingou, o tesão acabou. Simples assim.

Mas por que eu estou relembrando essa ladainha toda? Hein? Isso aí é super passado, oras. Mas aí é que eu me engano.

Eu estava ontem linda, alegre, e saltitante, fazendo um tour pelas quatro festas que tinham no campus. Tinha um coleguinha meu, do cromossomo XY, me acompanhando por todos esses lugares – e socializando junto, como todas as pessoas de todos os cursos possíveis e imagináveis, como num grande carnaval da cerveja e do cigarro. E daí que eu descobri que em todos os momentos em que eu ficava ausente para ir ao banheiro, a declaração geral que o cidadão (supracitado anteriormente neste post) declarava em alto e bom tom para os nosso coleguinhas era isso:

– Fulano tá furando meu olho.

– Como assim?

– O cara vai ficar com a minha namorada.

NAMORADA. MINHA NAMORADA. Sentiu todo o peso da coisa?

Criatura faz todo esse draminha, não me come, fica naquela vibe de mulher fazida aos 25, depois vem querer demarcar território.

Alguém me explica?

——————————————————–

Situação 2

Estávamos, eu e um velho colega de escola, ficando seguidamente vários fins de semana à fora. Estava tudo beleza, numa relax, numa tranquila, numa boa. O garoto era divertido, tinha pegada, blablablá. Eu poderia ter gastado o ano inteiro só curtindo com ele, sem stress nenhum de compromisso, aquela coisa toda. Tá certo que num determinado momento eu fiquei um pouco assustada, porque o garoto me levou em casa, eu conheci seus pais, seu irmão, cunhada, cachorro – como se não bastasse já termos uma penca de amigos em comum. E depois de um tempo o garoto chegou mesmo a conhecer os meus pais. Logo eu, que jamais apresento casinhos para os meus pais, a não ser que esteja namorando e tal.

[OBS:  Foi até meio marcante para mim porque foi a primeira vez, nesses meus vinte anos de vida, que meus pais entenderam que eu estava só ficando com o mocinho. E sim, eu até me emociono de lembrar que (logo o meu pai levando numa boa) eles nem se encomodavam de eu dormir na casa do dito-cujo, essas coisas, ou o dito-cujo dormir lá em casa. Estava tudo na santa paz de deus e eu nunca fui tão feliz com os coroas. ]

Enfim, o esquema até parecia um namoro, mas realmente não era. Tipo, meus pais sabiam que a gente estava só se curtindo, os pais dele também, nossos amigios eu não preciso nem dizer. Nós mesmo estávamos sempre admitindo um para o outro que aquilo era só um monte de ficadas de fim de semana e deu. Para mim, estava ok. Eu tinha um cara legal para sair quando desse na telha, alguém com quem eu poderia conversar no pós-coito, e ao mesmo tempo eu poderia sair por aí e ficar com quem eu quisesse, sem dores de cabeça. Vai dizer que não era o mundo perfeito?

…Ledo engano meu. Um dia a gente decidiu viajar no fim de semana, curtir um mar no frio, junto com os amigos. Até aí beleza, combinamos de ir juntos, de dividir cobertores e lençois, essas coisas. Chegando lá, sabe o que aconteceu? O indivíduo simplesmente me deu um fora sem falar nada. Ele simplesmente fez de conta que era só meu amiguinho e não ficou comigo. Mas o tempo todo, as pessoas nos tratavam como um casal. A gente chegou a dividir a mesma cama, cada um deitado para um lado. Por que? Porque o guri resolveu ser non-sense. Eu fiquei lá pensando que poxa, talvez ele estivesse apaixonado por outra pessoa, e pensando em namorar outra guria. Essas coisas acontecem. Mas então POR QUE DIABOS ele estava na praia comigo? Por que ele não me falava o porquê de estar fazendo aquilo? Por que ele simplesmente se afastou de mim do nada?

Sério, gente. Eu jamais ficaria brava se o cara resolvesse parar com essa historinha de body-call fixo, ou se ele estivesse gostando de alguém e resolvesse ser fiel. Até porque eu mesma estava sujeita a um dia conhecer alguém legal e de repente descobrir que ali estava o amor da minha vida, e então eu teria que terminar aquela relação que eu tinha com o outro. Sabe.. essas coisas acontecem.Mas não. Ele não apareceu com um status de “namorando” ou “commited” no orkut,nem nada parecido. Ele simplesmente me ignorou como pessoa que ele estava ficando, naquele fim de semana, e eu simplesmente ignorei a existência da pessoa durante uns dias depois disso.

Porém, o que passou na cabeça desse cidadão, eu nunca vou saber. Até hoje é uma incógnita.

Alguém explica?

————————————-

Homens reclamam que mulheres são complicadas, que não são óbvias, blablablá.

Eu acho que está para nascer uma mulher mais óbvia que eu. E o que acontece? Vocês complicam t-u-d-o.

De que adianta dar uma de legal com os caras, se de um jeito ou de outro eles vão sempre non-sense?

Se a gente é chata, vocês se apaixonam. Confessem.

2 comments

  1. Rafael Watson · August 26, 2010

    Nossa, cada coisa ue vc passa em… Pior que é muito sem sentido esta ai que esta figurinha fez com vc. Sinceramente isso que eel fez com vc, pra mim tem nome e é falsidade. Este lance ai da juventude de gostar de joguinho é memso uma coisa complicada de entender. Sinceramente, na hora que vc encontar alguém que pense, este alguém vai se apaixonar por vc, pq vc é especial demais. Mas infelizmente o mundo não é justo, espero que vc tenha sorte, bjs !!! Seu fã Rafa.

  2. Rafael Watson · August 26, 2010

    Nossa, cada coisa ue vc passa em… Pior que é muito sem sentido esta ai que esta figurinha fez com vc. Sinceramente isso que eel fez com vc, pra mim tem nome e é falsidade. Este lance ai da juventude de gostar de joguinho é memso uma coisa complicada de entender. Sinceramente, na hora que vc encontar alguém que pense, este alguém vai se apaixonar por vc, pq vc é especial demais. Mas infelizmente o mundo não é justo, espero que vc tenha sorte, bjs !!! Seu fã Rafa.