Vocês lembram como era na época colonial? Levar tiras de couro estaladas nas costas, ficar amarrado num tronco sem água e sem comida dias a fio, ter que dormir no chão sujo, não receber ajuda médica nunca, carregar sacos de grãos pesadíssimos nos ombros, não receber consideração nenhuma de tratamento, ter seu espaço de vivência diária limitada pela cercas da fazenda, nunca poder ir além do que aquele ambiente demarcado, ser fiel incondicionalmente a um sinhôzinho que só faz te maltratar e passar fome. Nada legal. Ainda bem que acabou, né?

Pois eu lhes digo que não.

Há muito tempo atrás, algumas pessoas começaram a domesticar animais. Cruzaram, fizeram raças, melhoraram outras já existentes. Submeteram espécies (caninas, por exemplo), consideradas inferiores por terem sido domesticadas, ao bel-prazer da vontade dos seres humanos. Os bichos – falando basicamente de cães – eram usados para caça, para guarda e companhia. O mundo evoluiu, as cidades nasceram e cresceram, e os bichos continuaram ao nosso lado – submetidos, ainda, pelo controle que obtivemos sobre suas vidas. Controle sobre as características que devíamos preservar neles: obediência, fidelidade, etc.

Por serem tratados como sub-seres, ainda hoje muita gente acha super aceitável abandoná-los. Judiá-los. Tratá-los como meros objetos de decoração. E as ruas se enchem de cães,  que se reproduzem, são maltratados por crianças, padecem de fome, espalham doenças entre si e entre outras espécies. E eles não tem culpa de nada. Assim como os boxers não tem culpa de ter hiperplasia da gengiva, porque é resultado direto das cruzas realizadas para chegar a esta espécie.

Eu tenho cães. Não acho legal subjugar outra espécie e fazê-la totalmente dependente de mim. Não. Eu odeio a idéia de trancar animais, seja em gaiolas, seja em cercados, seja no meu pátio de casa. Porque todos os bichos pertencem à natureza, devem nascer livres e viver livres, sujeitos ao seu livre-arbítrio. Mas nós, humanos, mudamos a história de muitas espécies – significativamente. Agora não tem como voltar atrás. Os animais estão aí, abandonados e mal-tratados, completamente dependente de nós – como sempre foram desde que tivemos a idéia de controlá-los.

Por isso tenho tanto nojo de criadores. São eles que financiam e propiciam essa situação lastimável dos cães abandonados. E quem compra cães fomenta essas iniciativas, dá a carta branca para que essa situação continue. O ideal seria parar de vez de produzir ninhadas para venda. E parar de comprar animais. E mesmo assim, ainda levaríamos anos para corrigir os erros que cometemos com nossos melhores amigos. Levaríamos anos para tirá-los das ruas.

Então, agora que merda tá feita, não tem como voltar atrás, temos que tentar ajudar. Eu posso ser contra o encarceramento de qualquer animal, mas não há nada que eu possa fazer já que os bichos estão na rua passando necessidade, e o único jeito de ajudá-los e dando-lhes a dignidade de um lar – um punhado de grades ou muros que os protegerão das atrocidades, da doença e da fome que existem do lado de fora, em troca de sua liberdade.

Por isso eu digo para vocês: adotem cães. Tirem-os das ruas.

É o único jeito de começar a tentar reparar o mal que fizemos a toda sua espécie esses anos todos.

AdoPet – http://www.adopet.rg.com.br/

Adotacao – http://www.adotacao.com.br/

Quero um Bicho – http://www.queroumbicho.com.br/

Patas Dadas – http://patasdadas.wordpress.com/

6 comments

  1. a · November 3, 2010

    Um cão selvagem não está em melhor situação do que um cão bem tratado que vive na casa de alguem. Quer ser contra alguma coisa? Seja contra os maus tratos, mas não contra o sistema todo.
    Antes de vir com essa falsa maravilha de “livre na natureza” pense o que isso significa; Livre na natureza é conviver com parasitas,brigas,busca constante por alimento, fatores naturais e doenças variadas. Viver “preso” na casa de alguem(que cuide realmente) significa estar livre de tudo isso.

    • garotacocacola · November 3, 2010

      Um cão só é um cão porque o domesticamos.
      Se não é domesticado, é um cão selvagem, um lobo, etc. E esses tem suas skills para viver na “livre natureza”, como você pontuou.
      Óbvio que eu sou contra os maus-tratos também.

      • a · November 3, 2010

        Claro que tem suas habilidades, mas isso não torna a existência dele melhor do que a de um cão que vive em um bom lar.

  2. a · November 3, 2010

    Um cão selvagem não está em melhor situação do que um cão bem tratado que vive na casa de alguem. Quer ser contra alguma coisa? Seja contra os maus tratos, mas não contra o sistema todo.
    Antes de vir com essa falsa maravilha de “livre na natureza” pense o que isso significa; Livre na natureza é conviver com parasitas,brigas,busca constante por alimento, fatores naturais e doenças variadas. Viver “preso” na casa de alguem(que cuide realmente) significa estar livre de tudo isso.

    • garotacocacola · November 3, 2010

      Um cão só é um cão porque o domesticamos.
      Se não é domesticado, é um cão selvagem, um lobo, etc. E esses tem suas skills para viver na “livre natureza”, como você pontuou.
      Óbvio que eu sou contra os maus-tratos também.

      • a · November 3, 2010

        Claro que tem suas habilidades, mas isso não torna a existência dele melhor do que a de um cão que vive em um bom lar.