Então, há muito tempo que eu quero falar sobre esse documentário, Transgenaration.

Não tem legendado, se alguém souber me avisa que eu divulgo o link. A versão que eu vi é sem legenda, mas mesmo que a pessoa não saiba inglês, acho bom ver pelo menos algumas imagens.

É o acompanhamento da vida de quatro transsexuais estudantes universitários nos EUA. Dois homens e duas mulheres.

/>Estava revendo  documentário hoje pela terceira vez – a cada vez que assisto aprendo uma coisa nova. E notei, no episódio 5, uma cena incrível. Existe esse cara, que um dia nasceu mulher, e que estuda administração. Ele é super ativista, faz protestos contra o preconceito, contra o capitalismo, contra o Bush. Tem muitos amigos, transsexuais como ele. Eles tomam testosterona uma vez por mês, e vêem suas vozes engrossarem, o corpo tomar forma masculina, e dizem que o sexo tem melhorado bastante. Mas tem uma cena, essa cena incrível, que aparece lá pelo meio do episódio, que mostra aquele grupo de caras num quarto, planejando a próxima manifestação que eles fariam. E daí que tem três deles deitados na mesma cama, conversando, de bate-papo tranquilo, as pernas pro ar.

Fico imaginando se três amigos meus, homens, deitariam-se na mesma cama para ficar batendo papo olhando para o teto, com os braços se entrelaçando, em plena demonstração de afeto. Certamente rolaria algo do tipo, mas eles ficariam o tempo todo fazendo de conta que eram homossexuais, encenando. Duvido que fariam isso naturalmente, sem pretensões. Aí me pego pensando que achei aquela cena o máximo. Mesmo que fossem transsexuais (mulheres se transformando em homens), rola todo um sentimento de parceria genuína. E aqueles cara são muito mais machos do que vários que eu conheço. E eles não viram problema nenhum naquele fato de deitarem-se numa caminha de solteiro para ficar debatendo política. Imagino se essa desinibição não é fruto do fato de um dia eles terem sido tratados como mulheres – já que nasceram mulheres, mesmo que sua mente e alma seja inteiramente masculina.

Acho que esses homens são privilegiados por serem livres de suas amarras sociais. Talvez pelo fato de estarem sempre marginalizados por serem transsexuais, eles possam dar passos mais largos em relação á consciência de seus sentimentos do que os meus amigos, que já nasceram homens.

Fica aí a minha questão sobre se os homens não são prejudicados por não poderem demonstrar afeto de forma natural. Eles tem sempre que fingir homossexualidade, esconder o afeto pelo amigo usando humor. Um humor muitas vezes forçado, sem sentido, cuja única justificativa é não se caracterizar. É mais fácil fingir humossexualidade em tom de brincadeira, do que ser posto na parede por uma suposta homossexualidade, acusada gratuitamente, só pelo inocente fato de demonstrar carinho por alguém.

Mulheres tem essa vantagem social, e talvez até por isso consigam disfarçar melhor homossexuliadade.

É uma longa discussão, né? Um ciclo sem fim.

E sobre o Transgenaration, eu quero falar melhor sobre ele em outro post.

2 comments

  1. Superman · March 19, 2011

    Na linguagem dos homens, as demonstrações de afeto são meio esquisitas. Por ex: dar tapa na cabeça, chamar de “viado”, perguntar “se a mãe vai bem”, dar chutes na bunda, etc… Rs…
    É mAis ou menos por aí…

  2. Superman · March 19, 2011

    Na linguagem dos homens, as demonstrações de afeto são meio esquisitas. Por ex: dar tapa na cabeça, chamar de “viado”, perguntar “se a mãe vai bem”, dar chutes na bunda, etc… Rs…
    É mAis ou menos por aí…