Daí que foi um tal de moça querida da ZH com a gente para cá, a Info fazendo entrevista para lá.

Mais de vinte horas num ônibus, indo de Porto Alegre à São Paulo sem dó.

Fila, fila, fila e fila antes de entrar no evento.

Tudo para o quê?

Internet 10GB, claro.

——————————-

Brincadeiras à parte, para quem não sabe e não conhece, eu estou postando de São Paulo hoje, diretamente da maior festa tecnológica do país: CampusParty Brasil.

Fiquei cansada demais para escrever um post extenso sobre o assunto, já que terei que escrever exatamente isso para outros dois lugares: Equipe Tenso e GarotasCPBr.

Basta informar que sexta, às 9h, estarei mediando uma mesa redonda no evento, sobre mulheres na informática. Mais para frente eu posto detalhes do assunto abordado e das participantes, assim como o link para assistir ao vivo.

Deixo para vocês algumas fotos bacanas que catei pela internet afora.

Pessoas jogando Rock Band aqui do meu lado

Pessoas jogando Rock Band aqui do meu lado

Minha cara cansada de fim de noite/dia

Minha cara cansada de fim de noite/dia

Vou retornar a Porto Alegre e a vida normal na próxima segunda, dia 24.

Por enquanto, vou atualizando-os desse enorme evento, que prima pela qualidade dos serviços oferecidos, a troca  de informação eficaz, e a diversão dos participantes – outra hora posto minha agenda de atividades, para vocês babarem um pouco.

A modéstia mandou lembranças.

6 comments

  1. Cão do Inferno · January 18, 2011

    Soube que o Al Gore irá ministrar uma palestra sobre o futuro da Internet na edição desse ano da Campus Party. Acho isso uma grande ironia porque foi exatamente através da tal Internet que hackers tiveram acesso a correspondências trocadas por cabeças graúdas da turminha do aquecimento global antropogênico [que tem como guru o senhor Al Gore]. Nas correspondências, os ecoterroristas discutiam a manipulação de dados para sustentar a tese tão amada pela indústria dos bons sentimentos, mas tão falsa quanto uma nota de três reais… Pra mim, essa palestra seria o ponto alto do evento. O que será que um politiqueiro profissional e mentiroso cínico poderia falar sobre o futuro da Internet? Tenho as minhas teorias, mas isso não importa…

    Sei que não tem relação com o texto, mas gostaria de fazer um comentário. Dei uma fuçada no seu blog e encontrei textos defendendo uma prática eufemisticamente denominada aborto… Pois bem, percebi que você acabou seguindo a mesma linha do típico pensamento abortista. Você falou sobre direito, sobre religião, só não falou o que realmente interessa: o que é e como se faz um aborto… Mesmo utilizando os artifícios intelectuais mais engenhosos, acho que abortista algum do planeta seria capaz de provar a inumanidade dos fetos. Como disse muito bem o jornalista Olavo de Carvalho, se algum abortista desejasse a verdade, teria de reconhecer que é incapaz de provar a inumanidade dos fetos e admitir que, no fundo, eles serem humanos ou não é coisa que não interfere, no mais mínimo que seja, na sua decisão de matá-los. Mas confessar isso seria exibir um crachá de sociopata. E sociopatas, por definição e fatalidade intrínseca, vivem de parecer que não o são… Pense sobre isso… O que será que leva uma pessoa a esmagar o crânio do próprio filho com um fórceps? Será coincidência a relação do abortismo com determinadas correntes políticas? Será que casais que realmente se amam e que têm uma relação verdadeira enxergariam na gravidez algo negativo? Interesses sociológicos justificam um assassinato [muitos admitem]? O que será que a Biologia diz sobre o assunto? São coisas nas quais devemos pensar… Fica aqui algumas considerações: gravidez não é virose; se opor ao homicídio não é questão de cunho estritamente religioso; o risco e freqüência de determinado ato não o torna moral e aceitável… A história do movimento abortista está manchada por muito sangue, muitas mentiras e desinformação. O movimento sempre canalizou a discussão para uma direção forçada, previamente calculada para atingir os seus interesses. Fixam o debate na “liberdade de escolha” e nunca dizem um “a” sequer sobre o foco do tema. É uma velha tática utilizada por grupos de interesse para impedir que as discussões apreendam a real substância do problema. Apesar de ser velho, pessoas ainda caem nesse engodo, promovendo a maldade como se defendessem os mais belos e nobres princípios.

    • garotacocacola · January 18, 2011

      Sou pró-aborto por pura idelogia social. A sociedade não está pronta para adotar a política anti-abortista porque a cultura não suporta isso.
      Mas aprecio seus argumentos. Desculpe responder tão tardiamente, é que só tive tempo de ler os comentários hoje.

      • Cão do Inferno · January 18, 2011

        Coca-Cola, não estou dizendo que é o seu caso, mas defensores profissionais dessa causa abjeta da qual estamos falando fogem do foco da discussão como a peste porque sabem perfeitamente bem que defendem o indefensável. O que justificaria o assassinato de um ser humano que, além de inocente, é indefeso? “Ah, mas um feto com sete, oito semanas de vida não é humano?” Será? Que tal, com uma pitadinha de Lógica, recorrermos à Biologia e à Embriologia para ver o que elas dizem?!… O abortista é responsável pelos atos e pelas falas mais torpes ditas por um ser humano. Muitos não exitam em mostrar que não são ignorantes a respeito do ato e, com a maior sem cerimônia, conseguem encontrar justificativas para um homicídio cruel e covarde. O que dizer para uma pessoa dessas?… Acho cada vez mais difícil cogitar a hipótese de desconhecimento em um discurso abortista. A orientação inicial no estudo de certas coisas não é difícil. Dessa forma, me parece que estou enxergando desconhecimento onde na verdade só existe cinismo… Mas acredito que você apenas não se deu ao trabalho de estudar esse assunto com mais cuidado. Me parece que você acabou comprando a propaganda abortista sem analisar o produto.

        Para me despedir do seu blog, gostaria de fazer mais uma observação. Em um dos seus textos, você disse que a senhora Dilma Rousseff representa o ideal de democracia e liberdade, pois lutou contra a tal ditadura militar etc. Sim, é verdade, ela lutou contra a “ditadura”, mas em defesa de uma mil vezes pior, a ditadura comunista, aos moldes de Cuba e Coréia do Norte… Como disse, a orientação inicial no estudo de algumas coisas não é difícil. Conhecendo o contexto histórico da época, o contexto da Guerra Fria, e a formação ideológica de pessoas como a sua candidata, concluímos que a história contada pelos engenheiros sociais nos colégios e pela mídia iluminada não pode ser verdadeira… De maneira bem sintética, o Brasil estava a um passo de se transformar em uma ditadura comunista quando as Forças Armadas [que hoje não passam de fraquezas desarmadas], cumprindo o seu dever de proteger o país, assumiram o poder. Vendo o seu plano de implantar a peste vermelha por aqui sendo frustrado, pessoas como a senhora Rousseff trataram de promover atentados terroristas, matar pessoas, roubar e sequestrar. Tudo em nome da democracia? Não! Em nome de uma ditadura cruel e sanguinária. Essas pessoas jamais defenderam democracia alguma. Somente um cinismo de fazer inveja ao próprio demônio poderia explicar o coitadismo desses covardes. Ademais, falar em “a ditadura” é uma tolice descomunal por um motivo simples: o período não foi homogêneo… As pessoas ainda engolem a história oficial porque o brasileiro não tem o menor interesse em conhecer a história do próprio país. Aliás, o típico brasileiro não tem interesse em conhecer, em estudar coisa alguma… Dizem que quem não tem memória se torna ingrato, injusto e mentiroso. Procure estudar melhor a história das pessoas e do partido no qual você depositou a sua confiança. Após isso, a não ser que você aprenda a mentir como eles, você jamais poderá associar a imagem dessas pessoas com a democracia e com a liberdade… Alguém de vista curta e limitada, alguém que não é capaz de estudar a história e associar causa e consequência poderia dizer que a Dilma mudou. Seguindo essa lógica, também devemos acreditar que o Brasil é um exmplo de democracia e que as baleias são hienas evoluídas.

  2. Cão do Inferno · January 18, 2011

    Soube que o Al Gore irá ministrar uma palestra sobre o futuro da Internet na edição desse ano da Campus Party. Acho isso uma grande ironia porque foi exatamente através da tal Internet que hackers tiveram acesso a correspondências trocadas por cabeças graúdas da turminha do aquecimento global antropogênico [que tem como guru o senhor Al Gore]. Nas correspondências, os ecoterroristas discutiam a manipulação de dados para sustentar a tese tão amada pela indústria dos bons sentimentos, mas tão falsa quanto uma nota de três reais… Pra mim, essa palestra seria o ponto alto do evento. O que será que um politiqueiro profissional e mentiroso cínico poderia falar sobre o futuro da Internet? Tenho as minhas teorias, mas isso não importa…

    Sei que não tem relação com o texto, mas gostaria de fazer um comentário. Dei uma fuçada no seu blog e encontrei textos defendendo uma prática eufemisticamente denominada aborto… Pois bem, percebi que você acabou seguindo a mesma linha do típico pensamento abortista. Você falou sobre direito, sobre religião, só não falou o que realmente interessa: o que é e como se faz um aborto… Mesmo utilizando os artifícios intelectuais mais engenhosos, acho que abortista algum do planeta seria capaz de provar a inumanidade dos fetos. Como disse muito bem o jornalista Olavo de Carvalho, se algum abortista desejasse a verdade, teria de reconhecer que é incapaz de provar a inumanidade dos fetos e admitir que, no fundo, eles serem humanos ou não é coisa que não interfere, no mais mínimo que seja, na sua decisão de matá-los. Mas confessar isso seria exibir um crachá de sociopata. E sociopatas, por definição e fatalidade intrínseca, vivem de parecer que não o são… Pense sobre isso… O que será que leva uma pessoa a esmagar o crânio do próprio filho com um fórceps? Será coincidência a relação do abortismo com determinadas correntes políticas? Será que casais que realmente se amam e que têm uma relação verdadeira enxergariam na gravidez algo negativo? Interesses sociológicos justificam um assassinato [muitos admitem]? O que será que a Biologia diz sobre o assunto? São coisas nas quais devemos pensar… Fica aqui algumas considerações: gravidez não é virose; se opor ao homicídio não é questão de cunho estritamente religioso; o risco e freqüência de determinado ato não o torna moral e aceitável… A história do movimento abortista está manchada por muito sangue, muitas mentiras e desinformação. O movimento sempre canalizou a discussão para uma direção forçada, previamente calculada para atingir os seus interesses. Fixam o debate na “liberdade de escolha” e nunca dizem um “a” sequer sobre o foco do tema. É uma velha tática utilizada por grupos de interesse para impedir que as discussões apreendam a real substância do problema. Apesar de ser velho, pessoas ainda caem nesse engodo, promovendo a maldade como se defendessem os mais belos e nobres princípios.

    • garotacocacola · January 18, 2011

      Sou pró-aborto por pura idelogia social. A sociedade não está pronta para adotar a política anti-abortista porque a cultura não suporta isso.
      Mas aprecio seus argumentos. Desculpe responder tão tardiamente, é que só tive tempo de ler os comentários hoje.

      • Cão do Inferno · January 18, 2011

        Coca-Cola, não estou dizendo que é o seu caso, mas defensores profissionais dessa causa abjeta da qual estamos falando fogem do foco da discussão como a peste porque sabem perfeitamente bem que defendem o indefensável. O que justificaria o assassinato de um ser humano que, além de inocente, é indefeso? “Ah, mas um feto com sete, oito semanas de vida não é humano?” Será? Que tal, com uma pitadinha de Lógica, recorrermos à Biologia e à Embriologia para ver o que elas dizem?!… O abortista é responsável pelos atos e pelas falas mais torpes ditas por um ser humano. Muitos não exitam em mostrar que não são ignorantes a respeito do ato e, com a maior sem cerimônia, conseguem encontrar justificativas para um homicídio cruel e covarde. O que dizer para uma pessoa dessas?… Acho cada vez mais difícil cogitar a hipótese de desconhecimento em um discurso abortista. A orientação inicial no estudo de certas coisas não é difícil. Dessa forma, me parece que estou enxergando desconhecimento onde na verdade só existe cinismo… Mas acredito que você apenas não se deu ao trabalho de estudar esse assunto com mais cuidado. Me parece que você acabou comprando a propaganda abortista sem analisar o produto.

        Para me despedir do seu blog, gostaria de fazer mais uma observação. Em um dos seus textos, você disse que a senhora Dilma Rousseff representa o ideal de democracia e liberdade, pois lutou contra a tal ditadura militar etc. Sim, é verdade, ela lutou contra a “ditadura”, mas em defesa de uma mil vezes pior, a ditadura comunista, aos moldes de Cuba e Coréia do Norte… Como disse, a orientação inicial no estudo de algumas coisas não é difícil. Conhecendo o contexto histórico da época, o contexto da Guerra Fria, e a formação ideológica de pessoas como a sua candidata, concluímos que a história contada pelos engenheiros sociais nos colégios e pela mídia iluminada não pode ser verdadeira… De maneira bem sintética, o Brasil estava a um passo de se transformar em uma ditadura comunista quando as Forças Armadas [que hoje não passam de fraquezas desarmadas], cumprindo o seu dever de proteger o país, assumiram o poder. Vendo o seu plano de implantar a peste vermelha por aqui sendo frustrado, pessoas como a senhora Rousseff trataram de promover atentados terroristas, matar pessoas, roubar e sequestrar. Tudo em nome da democracia? Não! Em nome de uma ditadura cruel e sanguinária. Essas pessoas jamais defenderam democracia alguma. Somente um cinismo de fazer inveja ao próprio demônio poderia explicar o coitadismo desses covardes. Ademais, falar em “a ditadura” é uma tolice descomunal por um motivo simples: o período não foi homogêneo… As pessoas ainda engolem a história oficial porque o brasileiro não tem o menor interesse em conhecer a história do próprio país. Aliás, o típico brasileiro não tem interesse em conhecer, em estudar coisa alguma… Dizem que quem não tem memória se torna ingrato, injusto e mentiroso. Procure estudar melhor a história das pessoas e do partido no qual você depositou a sua confiança. Após isso, a não ser que você aprenda a mentir como eles, você jamais poderá associar a imagem dessas pessoas com a democracia e com a liberdade… Alguém de vista curta e limitada, alguém que não é capaz de estudar a história e associar causa e consequência poderia dizer que a Dilma mudou. Seguindo essa lógica, também devemos acreditar que o Brasil é um exmplo de democracia e que as baleias são hienas evoluídas.