A vida é uma maré de surpresas.

Minha mãe me ligou e começou a falar pelos cotovelos, naquele tom de tenho um babado fortíssimo para te contar. Eu, ávida por atualizações dos últimos ocorridos na minha terrinha, quase cravava as unhas no nokia de tão ansiosa. Aí ela veio falando que estava conversando com a minha ex-sogra…

Ih, pensei. Aí tem.

Daí que ela me disse que um dos meus ex-namorados, digamos que o mais “oficial”, estava passando uns dias em Recife há pouco tempo, de férias. Eu fiquei me perguntando quê férias se a criatura atualmente não trabalha nem estuda, mas isso não vem ao caso. Aí reza a lenda que ele ia fazer uma conexão em São Paulo no vôo de volta. E a namorada atual dele surtou porque euzinha aqui estou em Sâo Paulo, capital,  e fez o marmanjo descer em Campinas. Tipo, como se por um acaso do destino eu fosse uma pessoa que ficasse rondando o aeroporto nas horas vagas. Sei lá. Confesso que até me senti a maior femme fatale, porque né? Olha para minha cara, dava até para fazer papel de noviça num re-make do clássico.

Mas o que mais me intrigou é como a cidadã sabe que eu estou aqui. Supostamente ela não saberia sequer da minha existência. Porém, como eu conheço o ex de trás para frente, e na diagonal, com certeza ele contou para ela. O que ele contou? Nem quero imaginar, só suponho. Mas isso não é o que interessa. O que me chama a atenção é que é muito provável que ela leia este blog. Né? Se eu fosse namorada do cara mais cafajeste que andou no perímetro do raio de uns 12km na minha volta, com certeza eu manteria as ex’s sob vigilância. Mas daí que eu não estou mais no perímetro de proximidade do cidadão, não é? Isso que nem comentei do fato de não querê-lo a menos de 500m de distância de mim. Porém, presumo que ela continue lendo este blog porque, vejam só, minha vida deve ser divertida, né? Pô, alguém tem que achar tudo isso engraçado além de mim.

 

No fim eu disse para a minha mãe, pelo telefone, que eu adoraria sentar com essa garota, tomar um milkshake – ou uma cerveja, ora essa, hoje é st.Patrick’s day! – e contar para ela os podres de todos os chifres invisíveis que eu colecionei na minha testa durante quase três anos de namoro. Ou contar para ela que ele traiu duas ex’s comigo. Contar para ela que ele saiu para tomar um chopp comigo ano passado, e eu dei uma lição de moral – bêbada – sobre fidelidade, ou sobre o fato de ele morar debaixo do teto da pessoa cuja confiança ele estava prestes a trair naquela noite. No final das contas, eu acho que eu pago muito de boa moça. Mantenho a classe, não vou atrás de atual do ex só para fazer complô. Tenho classe.

Pena que eu não tenho coragem, e nem falta de classe, para contar tudo isso para essa minha leitora incauta.

Né?

Oi.

 

12 comments

  1. radiske · March 17, 2011

    ASIUHSAIUHASUAISUAH Capai q rolo isso aí… lol

    • garotacocacola · March 17, 2011

      vixi, não viu nada!

  2. radiske · March 17, 2011

    ASIUHSAIUHASUAISUAH Capai q rolo isso aí… lol

    • garotacocacola · March 17, 2011

      vixi, não viu nada!

  3. Gabriela · March 17, 2011

    Foi fortíssimo mesmo!

    Mas, gente paranoica tem em tudo quanto é lugar =)

  4. Gabriela · March 17, 2011

    Foi fortíssimo mesmo!

    Mas, gente paranoica tem em tudo quanto é lugar =)

  5. magnus · March 17, 2011

    o problema de ler estas tuas confissões é que eu fico com com uma quase certeza de saber de quem tu fala.

    hahaha

    • garotacocacola · March 17, 2011

      pode acreditar.
      you know, magnus.

  6. magnus · March 17, 2011

    o problema de ler estas tuas confissões é que eu fico com com uma quase certeza de saber de quem tu fala.

    hahaha

    • garotacocacola · March 17, 2011

      pode acreditar.
      you know, magnus.

  7. Florisbella · March 17, 2011

    hahaha

    Mas que tapa de pelica, hein. Adorei.

    Beijo grande

  8. Florisbella · March 17, 2011

    hahaha

    Mas que tapa de pelica, hein. Adorei.

    Beijo grande