aquele sobre as cadeiras de rodas

Daí ontem navegando no facebook vi vários amigos compartilhando uma imagem de uma tal loja de cadeiras de madeira. O anúncio dizia que comprando uma dessas cadeiras de madeira, você ajudaria na doação para a compra de cadeiras de roda para quem precisa. Achei super legal a iniciativa, e tendo recentemente me mudado – dessa vez em definitivo, prometo – para um apartamento novo, e não tendo mesa nem cadeiras para a cozinha, animei de comprar esses móveis para ajudar na campanha a favor dos deficientes físicos.

Eis que entro no site e descubro que as tais cadeiras de madeira custam, na média (e em promoção), 350 reais. Cada cadeira. Se eu comprasse 4 cadeiras de madeira gastaria 1400 reais. E assim, o salário mínimo brasileiro hoje é 622 reais, ou seja, o valor de quatro cadeiras de madeira é o equivalente a 2,25 salários mínimos. Pesquisando mais, descobri cadeiras de madeira usando o mesmo material, madeira maciça, em lojas de ‘povão’ por 55 reais. E procurando mais um pouquinho nos confins da internet, conclui que a média de preço de cadeiras de roda simples custa 250 reais.

Bitch, please.

Com os 350 reais da cadeira de madeira da loja que anunciava no facebook, eu compraria uma cadeira de rodas simples e mais duas cadeiras de madeira do mesmo material, em uma magazine ‘de povão’.

Claro que eu nao quero desvalidar a ação louvável da loja em destinar uma porcentagem do seu lucro na ajuda a quem precisa comprar acessórios de suporte à deficiência física, porém penso nas pessoas que – tentando serem cidadãos mais conscientes e caridosos – se emocionam com esse tipo de iniciativa e não perdem tempo na vontade de ajudar. Acho que para gente que classe média, pensa que não tem dinheiro sobrando nunca, mas sai para beber cerveja toda a semana, e não se importa de dar uma ajudinha em campanhas desse tipo, devemos louvar a nossa conexão 3g no celular e o bendito ADSL de 10MB da nossa casa afim de sempre se informar um pouquinho melhor sobre onde estamos gastando nosso dinheiro.

;)

0 comments